Bandeira do Brasil


















A bandeira do Brasil foi adotada pelo decreto de lei nº 4 de 19 de Novembro de 1889, tendo por base um retângulo verde com proporções de 07:10. Sobre esse retângulo, um losango amarelo e, dentro deste, um círculo azul no qual está uma faixa branca com as letras "ORDEM E PROGRESSO" em cor verde, assim como 27 estrelas de cor branca. Para alguns estudiosos essas formas geométricas foram subtraídas de uma mandala ou seja a bandeira é uma arqueo-concepção artística da imagem do mundo visto de fora para dentro.


Origem


A mudança da bandeira teve origem na necessidade da República Brasileira em criar uma cultura voltada para a nobreza de modo que a heráldica preexistente, deve-se a recusa da bandeira provisória, por ser notadamente uma cópia da Bandeira norte-americana.


A idéia da atual bandeira e então nova república, foi apenas uma modernização da antiga bandeira imperial originalmente idealizada por Jean-Baptiste Debret (1768-1848) em 1820 e cujas as formas do losango inscrito no retângulo foram transferidos de uma mandala respeitando-se a seleção e eliminação de algumas suas seções. Nesse caso, os co-autores em 1889 seriam um grupo formado por membros da Igreja Positivista representado por Raimundo Teixeira Mendes , presidente do Apostolado Positivista do Brasil. Com ele colaboraram o Dr. Miguel Lemos e o professor Manuel Pereira Reis, catedrático de Astronomia da Escola Politécnica do Rio de Janeiro. O desenho do disco azul em substituição a esfera armilar da imperial inscrita no losango amarelo, foi executado pelas mãos firmes do pintor Décio Vilares e por indicação de Benjamin Constant foi acrescentado como figura de destaque, a constelação do cruzeiro do sul invertida, isso é como se fosse vista por um observador localizado além da ultima esfera ou que olhasse numa carta celeste do hemisfério austral centrada no fuso sideral 13. Essa bandeira foi adotada oficialmente pelo decreto No. 4 de 19 de novembro de 1889 preparado por Benjamin Constant , membro do Governo Provisório.


Significado


As cores verde e amarelo estão associadas respectivamente à casa real de Bragança, da qual fazia parte o imperador D. Pedro I, e à casa imperial dos Habsburgos, à qual pertencia a imperatriz D. Leopoldina. Hoje, simbolizam popularmente as matas (riquezas naturais) e o ouro (riquezas minerais). A faixa branca é o lugar para a inscrição "Ordem e Progresso", cujo lema é de autoria do positivista francês Augusto Comte.


Significado das estrelas


No círculo azul, cada uma das estrelas representa um dos estados que formam o Brasil. Com respeito a posição do eixo da constelação do Cruzeiro do sul, o alinhamento vertical das estrelas Alfa da crux e Gama da crux , retratam um trânsito sideral do fuso de número 13 , tal qual as demais republicas austrais, no caso do Brasil estão como observadas num eclipse na cidade do Rio de Janeiro às 9 horas e 22 minutos da manhã do dia 15 de Novembro de 1889, data local e hora da proclamação da república ou no em oposição abraxas ao Sol nessa mesma posição, às 9 horas 22 minutos da noite do dia 13 de maio de 1888 data da sanção da Lei Áurea) sendo que no caso da bandeira brasileira elas estão conforme seriam vistas por um observador posicionado fora da esfera celeste.






















Estado

Constelação

Estrela

Acre

Hidra Fêmea

Hya (gama)

Alagoas

Escorpião

Sargas (teta)

Amapá

Cão Maior

Mirzam (beta)

Amazonas

Cão Menor

Prócion (alfa)

Bahia

Cruzeiro do Sul

Gacrux (gama)

Distrito Federal

Oitante

(sigma)

Ceará

Escorpião

Wei (epsilon)

Espirito Santo

Cruzeiro do Sul

Intrometida (epsilon)

Goiás

Argus

Canopus (alfa)

Maranhão

Escorpião

Graffias (beta)

Mato Grosso

Cão Maior

Sirius (alfa)

Mato Grosso do Sul

Hidra Fêmea

Alphard (alfa)

Minas Gerais

Cruzeiro do Sul

Pálida (delta)

Pará

Virgem

Spica (alfa)

Paraíba

Escorpião

Girtab

Paraná

Triângulo Austral

(gama)

Pernambuco

Escorpião

(mu)

Piauí

Escorpião

Antares (alfa)

Rio de Janeiro

Cruzeiro do Sul

Mimosa (beta)

Rio Grande do Norte

Escorpião

Shaula (lambda)

Rio Grande do Sul

Triângulo Austral

Atria (alfa)

Rondônia

Cão Maior

Muliphem (gama)

Roraima

Cão Maior

Wezen (delta)

Santa Catarina

Triângulo Austral

(beta)

São Paulo

Cruzeiro do Sul

Acrux (alfa)

Sergipe

Escorpião

(iotá)

Tocantins

Cão Maior

Adhara (epsilon)


As estrelas aparecem na bandeira com cinco tamanhos diferentes que, apesar de não representarem fielmente as magnitudes astronômicas, estão relacionados com elas, sendo que quanto maior a ordem de magnitude da estrela, maior o tamanho da estrela na bandeira.


Outras características


Uma particularidade da bandeira do Brasil é que ambas as faces têm de ser iguais, não sendo aceitável que uma face seja simplesmente o avesso da outra, isso se deve a posição rebatida das estrelas desenhadas no círculo azul, que igualmente retratam a imagem rebatida do Universo conforme seria visto por uma pessoa localizada além da última esfera armilar.